PROJETO SISTEMA DE RECEPÇÃO VIA SATÉLITE
BOITUVA – SP

INTRODUÇÃO

Este relatório visa apresentar o projeto Via Satélite e sugestão para posicionamento das antenas parabólicas no terreno da estação em Boituva/SP.
A técnica utilizada consiste em posicionar as antenas parabólicas referência de 4,5 m, desenhadas em 3D no ACAD 2016, de forma a ocupar o menor espaço possível no terreno. Visamos também não permitir interferências de TI, bloqueios naturais e outros apontados no Site Survey.
Segue o arco polar de satélites de interesse para a estação Boituva/SP, ponto de partida para os alinhamentos das antenas.

Fig. 1 – Arco Polar de Satélite

VISTA AÉREA DO TERRENO (Fonte: Google Earth)

Fig. 2 – Foto aérea do terreno (Fonte: Google Earth)

DADOS DA ESTAÇÃO

ENDEREÇO: Rua Rio de Janeiro, 300 – Jardim Valparaiso – CEP: 18.550-000

COORDENADAS GEOGRÁFICAS:  

23° 17’ 13” Latitude Sul
47° 42’ 15” Longitude Oeste

DATA DO SITE SURVEY: 11/11/2015

RELAÇÃO DAS ANTENAS E CARACTERÍSTICAS DA RECEPÇÃO

Tabela 1 – Relação de antenas e características

1. CÁLCULO DE DESEMPENHO DA ESTAÇÃO

ATENUAÇÃO NO ESPAÇO LIVRE: Define a atenuação causada pela distância que o sinal percorreu até a estação terrestre.

DADOS GERAIS PARA PROJETO:

VALORES ADOTADOS PARA OS ILUMINADORES:

I.L. (Perda por Inserção):                 0,5 dB máx. (perda por inserção)
XPOL (Polarização Cruzada):        30 dB mín. (polarização cruzada)
VSWR (Onda Estacionária):           17,7 dB mín. (perda por retorno)

1.1 – CÁLCULO DO NÍVEL DE ENTRADA NOS IRDs

A Tabela 2 a seguir nos fornece dados importantes para o funcionamento confiável do sistema.
Na 4ª coluna temos o nível calculado de downlink para cada satélite. Já a última coluna nos fornece o nível calculado de cada polarização após divisão, referente á entrada de cada IRDs. Os fabricantes recomendam o nível mínimo de -65 dBm na entrada do IRD para mínima qualidade de vídeo aceitável, com mínimo erro de bits tolerável.
A alimentação para o LNB deverá estar presente em todas as portas dos divisores via satélite. Todas as portas de RF de entrada e a de saída deverão ter a impedância igual a 75 ohms, com conexão “F” fêmea. Caso permaneçam saídas abertas, recomendamos a terminação casada com bloqueador DC.

Seja a tabela de divisores de satélite passivos propostos para o projeto.

Tabela 2 – Quadro de divisores de satélite

Ob.: Divisor de antena parabólica de alta frequência (Splitter) 1×2/1×4/1×8 com passagem DC.

Assim sendo, necessitaremos das quantidades abaixo, considerando expansões e mudanças no lineup:

Características Técnicas básicas dos divisores de Satélite:

Tabela 4 – Especificações técnicas

DIAGRAMA DE GANHOS E PERDAS DO SISTEMA

2. DIAGRAMA DE LIGAÇÃO DAS ANTENAS

As páginas seguintes fazem referência ao Diagrama de Ligação das antenas da Estação Boituva de IPTV.
Os dados foram obtidos do Line-up fornecido e sites especializados. Como interpretar as figuras:
O cabeçalho da figura mostra o satélite, sua posição orbital e Banda C. Nas características, temos o modelo da antena em questão, a polarização (LP – Linear Polarization) e a quantidade de recepções (2RX).
Logo abaixo temos o nível calculado até a antena (sem divisões), o tipo do iluminador (duplo linear ou duplo circular), o tipo do LNB utilizado e as coordenadas de azimute e elevação da antena para a estação Boituva/SP.
RG-11 é o modelo de cabo utilizado. As identificações dos cabos estão na legenda.

Fig. 3 – Interpretação da Figura e identificação dos cabos

2.1 – DIAGRAMA DE LIGAÇÃO STAR ONE C3